Conto – DEI O CU A MEUS AMIGOS E AO DONO DA OFICINA

Era sábado, dia 22 de janeiro de 2011. Claudia Leite iria dá um show na cidade de Tamandaré em Pernambuco. Combinei com mais três colegas para irmos prestigiar o show. Somos de Japaratinga, cidade interiorana de Alagoas. Uma praia maravilhosa. Então dia 22, às quatro da tarde saímos da cidade com destino a Tamandaré. Quem foi dirigindo foi o Fábio, pois ele não bebe. Eu, Jerson e Júnior fomos tomando um litro de uísque. Confesso que gosto de mulher, transo com mulher, gosto muito de buceta, mas não dispenso uma rola de jeito nenhum. Eu já tinha chupado a super rola do Júnior. Ele sempre gozou na minha boca e uma vez eu engoli toda gala. Uma delícia. Mas o Fábio e o Gerson que me aguardassem.  Por muito pelejar, um dia o Jerson me mostrou a cabeça da rola. Linda. Outra vez peguei, mas não vi. Era noite e tava tudo escuro.

            Pois bem. Nesse dia tomávamos uísque e falávamos um monte de putaria. Quando de repente,depois da cidade de Barreiros, já perto da entrada da cidade de Tamandaré, o carro parou.

            – O que foi? – Perguntei.

            – Essa porra deve estar com algum problema – anunciou o Fábio.

            O que valeu é que estávamos quase em frente a uma oficina. Estávamos com sorte. Empurramos o corsa até lá. Grande foi a nossa surpresa. A oficina estava fechada. Um rapaz que passava falou que era amigo do dono. E nos levou até lá. O cara falou que aos sábados a oficina só funcionava até o meio-dia. Mas conseguimos convence-lo em nos atender.

            Logo estávamos dentro da oficina. O dono era alto, forte, nem magro nem gordo. Barba por fazer. Aparentava ter um 25 anos. Muito bonitão o cara. Olhei a mala e avistei um volume assustador. Minha pica subiu na mesma hora. O Fábio percebeu quando eu olhava a mala do cara e fez um ar de riso.

            Assim que o cara começou a verificar o carro, procurando o problema, eu perguntei onde ficava o banheiro. Ele apontou com os beiços. Eu me dirigi pra lá. Quando estava mijando, o Fábio chegou por trás de mim e começou a roçar o pau na minha bunda. Não resisti e tirei a rola dele da cueca e comecei a chupar. Que rola gostosa. Um cheirinho de sebo me deixou doidão e chupei com mais vontade. Como demorávamos sair do banheiro, O Gerson chegou de repente e foi logo tirando a rola linda pra fora. Chupei com toda a minha vontade.

            De repente ouvi a voz grossa do proprietário da oficina:

            – Por que vocês estão demorando tanto nesse banheiro? Tão trocando é seus sacanas?

            Nesse momento ele e o Júnior entraram no banheiro e me flagraram chupando aquele belo par de pica.

            – Não gosto muito de veado, não… mas vou entrar na farra também – falou o dono da oficina, tirando a chibata da cueca e enfiando na minha boca.

             O Júnior, como já falei, é dono de uma rola que parece mais uma lata de refrigerante – podem acreditar -, alisou meus cabelos e começou a esfregar a rola na minha cara. Depois abocanhei sua  jeba me engasgando. Foi uma loucura chupar quatro rolas ao mesmo tempo.

            – Abre o rabo desse veado que quero ver se ele agüenta essa pica aqui.

            Estremeci. O brutamonte era um gigante. Uma rola descomunal tocou minhas pregas traseiras já lambuzadas de cuspe e alargadas pelo cabo de uma chave de fenda que o cara trazia na cintura. Senti a rola me rasgando. Que Delícia. Sentei todo pauzão se esconder no interior do meu cuzinho.

            – Que cu apertado, hem bichinha – ele falou.

            O cara tirava e botava num vai e vai alucinante. Sem parar. Depois anunciou:

            – Aguenta o cu que vou gozar!

            E gozou horrores no meu rabo. Limpei toda gala que restou com a língua.

            Depois foi a vez do Júnior  acabar de me rasgar. Senti a invasão da pica grossona dele que me bombou por uns dez minutos seguidos, e anunciou no meu ouvido:

            – Vou gozar gostoso em você, minha putinha.

            E gozou gemendo e estremecendo. Que lindo!

            Matei minha secura com o Gerson. Chupei o cacete dele logo em seguida por uns cinco minutos. Depois ele se posicionou por trás de mim, enquanto eu me segurava na bacia sanitária e enfiou aquela rola linda, novinha, branquinha, cabeça vermelhinha… Bombou feito um menino no cio e gritou:

            – Tô gozando, Rômulo. Que cu gostoso.

            Depois dei o cu ao Fábio, que depois de lambuza-lo com cuspe introduziu 22 cm de puro nervos. Que rola majestosa!

            – Aguenta firme, Rômulo! Teu macho agora vai acabar de te rasgar. Quem manda ter o cu gostoso, porra!

            Enquanto isso todos assistiam ao espetáculo. O Fábio tirava a pica de um vez e colocava de uma só vez. Foi quando senti o macho me apertar, a respiração tornou-se mais forte, as estocadas mais rápidas e ele gritando descontroladamente:

            – Tô gozando nesse cu, cara. Que delícia!

            Eu estava de rola dura e queria gozar também. Então falei:

            – Por favor, agüenta um pouquinho, Fábio. Deixa eu gozar sentindo essa rola gostosa no meu rabo!

            – Goza, sua puta do cu apertado! – disse o dono da oficina me segurando e olhando pra minha pica.

            Gozei bastante.

            O conserto do carro ficou por conta da orgia no banheiro da oficina. E o dono disse que nos esperava a volta no domingo para repetirmos a dose. Mas essa outra história vai ficar pra depois.

Contos – Meu Amigo Bêbado


image

          Olá eu sou “poseydom”, tenho 22 anos, eu tenho um amigo de 28 anos que gosta muito de encher a cara, ele sabe que sou viado, um dia de chuvas fortes eu voltava da escola pra minha casa de apé e encontrei ele escorado em uma parede se recuperando do porre, com uma garrafa de whisky na mão…
         Ele me viu e pediu pra levar ele pra casa pois morava perto da minha,ele é separado da mulher por causa da bebida, chegando a quase 1 km pra chegar nas nossas casas a chuva piorou e apagou as luzes dos postes,paramos em baixo de uma marquise e ele me disse que estava de pau duro,estávamos molhadérrimos ele tirou toda a roupa, ensopada, ele estava sem cueca, eu tenho tesão por homens que não usam cueca, disse isso pra ele, ele disse que nunca usa, ai eu cai de boca na vara dele, chupei as bolas, chupei até ele gozar nela,engoli tudo,ele ja tinha me comido algumas vezes e dei pra ele de novo…
         Ele foi muito bruto me pegou a força e me fez sentar no seu cacetão duríssimo, aquilo me arregaço o cú que chegou sangrar, mas mesmo assim eu estava com muito tesão e vontade de ser fodido, que ele nem se preocupou muito em ter cuidados por isso ele foi muito selvagem…
         Ele me disse: rebola no meu pau minha puta,que eu vou te dar o que tu quer, e eu estava mesmo querendo,ele socou e socou com tanta força que eu quase desmaiei de dor e prazer, nesse momento ele avisou que iria gozar e tirou a pica pra fora,e gozou na minha boca de novo e eu engoli tudinho,ele me disse que foi muito fácil e ninguém percebeu,eu estava tão tonto com a pica que levei no cú,que não percebi que tinha parado de chover, e a luz logo voltaria…
         Ele puxou a calça pra cima ajeitando o pau agora ja mole dentro dela, apertou a cinta com força pra ninguém perceber que ele estava com o bixo solto, e vestiu a camisa, e fomos embora…
         Meu cú doía,e eu quase não conseguia andar, chegamos na casa dele, ele pediu pra mim entrar e eu disse que não poderia demorar muito, mas como eu estava caindo de sono acabei dormindo lá mesmo, na cama de casal dele, fodemos de novo e eu vou lá todo dia dormir.

Contos – Meu Amigo do Trabalho e seu Irmão


 
Poder G (165)Eu tenho 35 anos sou militar eu estava saindo do trabalho ai um cara recém chegado estava indo embora e me perguntou pra onde eu ia eu respondi ele me pediu uma carona eu disse que tudo bem.
Fomos falando do serviço e ele me fazendo varias perguntas sobre o trabalho estava maior calor e o tempo muito carregado e de repente começou a chover até ai tudo bem não tinha maldado nada após alguns minutos de chuva o carro ficou com o vidro embaçado ai de repente ele tirou a camisa fiquei tremulo com o que vi um copo definido e um leopardo enorme tatuado no peito ai elogiei a tatuagem ele me deu uma olhada que gelei por dentro ai ele sugeriu que eu abrisse os vidros.quando estava passando pela rua dele o carro parou ai tivemos de empurrar uns 40m ai ele me convidou para entrar e espera a chuva passar que o irmão dele poderia dar uma olhada eu disse tudo bem…
Ele chamou pelo irmão e ele não respondeu então ele ligou o cara respondeu que estava ajudando um amigo e que não iria demorar ai ele perguntou se eu não queria tomar um banho ele me emprestaria roupa para eu ir embora concordei e fui para o banheiro, logo em seguida ele entrou com a roupa para mim e para ele e me disse posso entrar no box com vc não me importei ja que no trabalho o box é coletivo.ai aquele gelo por dentro voltou quando ele começou a esfrega sua pica morena e cabeçuda que estava começando a dar sinal de vida ai deixei cair o sabonete e abaixei para pegar e dei uma esbarrada na pica dele que ficou dura de vez ele meio sem graça pediu desculpa olhei para ele e segurei a pica dele ajoelhei e comecei a mamar ele gemia de prazer ele me colocou de pé pegou uma camisinha ai começou a enfiar aquela pica dura e quente.
         Ele começou a socar eu não sabia se gemia de dor ou prazer com aquela pica,de repente a porta do banheiro se abriu se ele ja era gato o irmão parecia uma escultura.
         Ele fala pro irmão que a festa estava boa eu de pronto disse vc quer participar ele já foi logo tirando a roupa cara que pica ai cai de boca era um por trás e outro pela frente se revezando até que meu colega mirou meu rosto e lançou aquele jato quente e eu comecei a chupar e tomar o resto do leite que saia foi ai que o irmão dele tirou a pica de dentro e gozou na minha bunda foi maravilhoso…
         Em seguida ele ajeitou meu carro e fui embora e ainda dou umas caronas pra ele com direito a banho.

Conto – O Carteiro

Tenho 21 anos, sou moreno-claro, tenho 1,75 de altura e peso 60kgs. Sou muito discreto, já namorei inúmeras vezes e talvez por isso nunca e ninguém cogitasse uma suposta tendência homossexual, mas ela existe apesar de quase raramente exercita-la, porém um caso ou outro surge esporadicamente, por que afinal ninguém é de ferro.
O que vou descreve a seguir ocorreu caso que por acaso ou como alguns queiram definir por ironia do destino. Mas vamos aos fatos estava eu sentado no pátio de casa da minha tia quando do nada surge o tal carteiro, um cara novo aparentando ter no máximo uns 25 anos, branco, louro de olhos verdes e um corpo mais sarado do que o meu, parou em frente ao portão e perguntou por uma tal Evanilse, me aproximei mais pra perto do portão, para visualizar melhor o carteiro, não sou do tipo de cara que se faz de desentendido quando percebe que rolou um clima no ar.
Foi de súbito que ele olhou pra mim meio vermelho e deu um longo sorriso malicioso, dava pra vê que ele estava nervoso procurei administra a situação a mais normal possível, se é que era possível, mas retribuir o sorriso com um outro de mesmo tamanho acompanhado de uma leve piscadela o que lhe desconcertou ainda mais, e dessa vez me deixando envergonhado, mas antes de lhe responder que a tal Evanilse não morava lá eu tentei engatar um papo mais descontraído, pois só agora me dou conta, que para quem estivesse por perto escutando a conversa não entenderia nada, porque a conversa era completamente desconexa uma mistura de fala com gestos discretos.
Entretanto encerrei a conversa dizendo que não morava nenhuma Evanilse na casa e o vi, indo em direção a casa do vizinho ainda não refeito da paquera.A empregada me pergunta quem era e eu lhe digo que era o carteiro procurando uma Evanilse e para minha surpresa a Evanilse era ela ,conhecida populosamente como Eva.não pensei duas vez e corri para a rua e lá estava o carteiro checando o número da casa novamente ,ele me vi e tornou a ficar vermelho eu ainda estava impactado com o cara,mas falei que era a casa sim, expliquei o ocorrido ele olhou mais ainda  pra mim e riu,eu ri pegando o envelope de sua mão  e sorrindo  perguntei se ele não teria telefone,que abusado eu fui ,todavia ele me deu e falou que estaria num bar depois do expediente,me despedi dizendo que então estava tudo certo.
                Chegando ao tal bar a princípio não o vi e fiquei meio decepcionado, porém ele me viu e veio me conduzir à mesa onde ele estava, sentamos e finalmente nos apresentamos o nome dele era Dmitri e disse o meu Hiero, ele me perguntou o que queria beber falei que um refrigerante e ri ao lembra que eu estava sendo conduzido como uma dama ele voltou com o refrigerante e nós conversamos sobre uma miríade de assuntos o nosso entrosamento foi tão instantâneo como que espontâneo a nossa interação, parecia que nós conhecíamos há muito tempo, até que ele perguntou se eu estava afim de algo a mais, mostrando o volume que se formava em sua calça, que ingênuo claro que sim, talvez fosse ai que eu fiquei mais racional estava com tesão, entretanto as coisas tomaram um rumo do óbvio um caminho da cama para um até nunca mais. Porém estava afim eu fui com ele, ele morava numa vila de quartos de cômodos, ainda no caminho eu vinha refletindo sobre o que ele tinha me dito que veio do interior e passou no concurso dos correios e que ajudava os pais, a vontade de cursa uma universidade etc. um sujeito bem sério e de certos valores. chegamos no quarto e então tomei a iniciativa e beije-o ,de inicio um beijo tímido,para um mais elaborado e selvagem em direção a cama de solteiro,foi um amasso longo e demorado até que nós conseguíssemos nos despir a sensação era como nós fossemos nos fundir ficamos nos esfregando por cima das cuecas até que ele tirou a minha pedi para ele ficasse de pé enquanto eu ajoelhei em sua frente e com muita maestria abaixei lentamente a cueca revelando o cabeça de seu pau até então oculto pra mim,chupei a cabeça rosadinha e a medida que eu ia introduzindo o seu pau em minha boca eu abaixava a sua cueca ele ia a loucura gemia tentava bombar em minha boca mas como era grande o seu pau cerca de uns 20 cm de carne com uma pele tão macia eu de início me engasgava, ele virou, aí eu comecei a passar a mão na bunda dele, e ele gostando, mas logo parei, aí ele começou a me olhar com cara de safado me levantou e segurou um  no meu pau batendo um deliciosa punheta, e logo ele olhou de novo pra mim, entendi tudo e comecei a beija-lo, ele continuou e a coisa foi esquentando mais e mais, até que ele começou a passar a língua pelo meu corpo até chegar no meu pau,que  já estava pulsando de puro tesão se ajoelhou e me chupou, que chupada!Começou pelo saco depois pela cabeça meu pau mede uns 18 cm e vi desaparece em sua boca que sugava com força que a sucção chegava a doe mais nada insuportável pelo contrário muito prazeroso tentei avisa-lo que eu estava pra gozar mais antes que pudesse lhe dizer, gozei como há muito tempo não tinha gozado jatos e jatos que encheram a boca dele até transborda pelos cantos pensei que o sacana não tivesse gozado e que tinha sido da minha parte egoísta mais ele havia gozado enquanto me chupava,ficamos deitados na cama recobrando energia. até que o um pau deu sinal de vida e ele logo se apresou pra chupa,chupava com mais calma fizemos um 69 gostoso eu por baixo e ele por cima na qual eu lentamente introduzia os dedos no seu cuzinho que piscava freneticamente cada vez que eu metia o dedo ele empinava sua bunda para trás. Depois de brincarmos muito nessa posição chegou à hora da tacada final, ele se deitou em baixo de mim, levantou as pernas e esperou que eu fizesse um delicioso frango assado e assim o fiz, ele me pedia fazia, comecei a brincar na portinha do cuzinho dele, encostava e tirava, encostava e tirava, ele se mexia tentando fazer com meu pau entrasse um pouco mais coloquei a camisinha no meu pau e começamos a brincadeira, chegava à porta e parava, até que num belo momento de tesão e loucura empurrei de uma só vez, o meu pau foi sendo engolindo pelo seu cuzinho, o meu pau latejava de tão duro, ele gemeu chegou até grita mais abafei a sua boca pressionando contra o travesseiro, depois que meu pau entrou e seu cu não esboçava mais resistência foi só alegria, comecei a mexer bem devagar tirando tudo e colocando novamente, de repente ele me pediu pra socar com força e eu comecei, ia e vinha numa força brutal, socando todo meu cacete naquele cuzinho quase virgem, e ele se contorcendo e fazendo carinha de puta pra mim, aquilo me deixava doido, e depois de uns quinze minutos naquele vai e vem delicioso eu disse a ele que iria gozar, e ele já não agüentando mais, disse que ele já estava a ponto de gozar. Então peguei no seu pau e bati um punheta e na hora que ele começou a gozar eu sentindo aquele pau pulsando e gozando ,não resisti e  comecei a gozar também dentro dele  o cu dele contraía e apertava o meu pau massageando deliciosamente fiquei mais um pouco bombando aquele cu até que gozei novamente,parece que foi uma gozada atrás da outra, mas em questão de segundos, foi espetacular!Saímos dali e fomos pro banheiro, tomar um banho pra relaxar.
Tomamos um banho e voltamos para o quarto, chegando lá eu troquei de roupa e ele também, mas pra minha surpresa ele não tinha se dado por satisfeito, tirou minha roupa e começamos tudo novamente. meurdris@hotmail.com até mais.

Conto – Deus Grego dormindo

Desu Grego Dormindo Olá me chamo Maylson, tenho 22 anos, 1,73cm  e vou contar o que aconteceu comigo, morava em uma cidade pequena no maranhão quando comecei o meu primeiro relacionamento mas a minha aventura começa quando eu me mudei pra uma cidade perto da minha 79km, fui morar com minha avó e meu primo e uma prima, quando cheguei lá não tinha tanto espaço assim para todo mundo ai minha avó me colocou para ficar dormindo no quarto da minha prima até ela organizar um quarto pra mim ficar, certo dia acordei para ir para o trabalho e meu primo começou bater na porta pra entrar dentro de casa ele estava vindo da balada as 7 da manhã morto de bêbado e com um cheiro de perfume feminino muito forte.

Não falou nada e foi pro quarto dele que fica em frente a porta do banheiro e eu como tinha que trabalhar fui tomar banho quando sai do banheiro olhei pro quarto e vi aquele monumento deitado em cima da cama só de shorte, daquele de jogar futebol bem fininho, meu o que era aquilo coxas morenas bem bronzeadas depiladas brilhavam por causa do suor que estava por todo seu corpo e o seu pau ficava todo demarcado e parecia esta excitado a ponto de mostrá-lo bem detalhado no tecido. Não me agüentei de tanto tesão, fui pro banheiro pois minha toalha já não estava agüentando segurar meu pau mais fiquei da porta do banheiro só olhando e me masturbando já estava gozando quando ele acordou e ficou olhando, detalhe não vi quando ele acordou, depois que eu gozei que olhei pro quarto que eu vi ele me tremi todinho e entrei pro banheiro terminei de me limpar e fui trabalhar.

Outro dia estava no meu quarto arrumando minhas coisa e arrumando minhas fotos, que por sinal são muitas fotos inclusive umas bem intimas que tirei no meu quarto antigo todo nu, ele viu e perguntou o que eu estava fazendo eu com medo guardei as fotos e disse que não era nada, fui pra academia naquele mesmo dia e já era 10 hora s da noite quando cheguei, a moto dele já estava em casa a porta do meu quarto estava aberta mais não dei muita atenção pra isso, peguei a toalha e fui pro banheiro perto de lá comecei a ouvir gemidos bem baixinho resolvi ir com calma sem fazer barulho quando chego perto do quarto dele a porta está semi aberta quando olhei ele estava se masturbando e olhando o meu álbum di fotos quando vi aquele caralho na mão dele meu coração quase sai pra fora me tremi todinho e com medo de fazer barulho fui pro banheiro quando fui abrir a porta fez barulho e acabei chamando atenção dele ai entrei pro banheiro e comecei tomar banho mais aquela imagem não saia da minha cabeça e comecei a me masturbar e meter o dedinho no meu cuzinho estava quase quanto ele apareceu na porta e começou a se masturbar na minha frente, ele fechou a porta e disse que sabia o que eu tava precisando começou tirando meu dedinho do meu cuzinho e disse que tinha uma coisa melhor que aquele dedo, quando me virei lá estava aquela bronha todinha pra mim me abaxei e comecei a chupar todo aquele membro, não demorou muito ele me puxou  me virou e praticamente me estrupando me socou todo aquele 23 cm de pica fui em outro mundo e voltei doeu no começo mais depois só prazer sentir aquele pau no cu, ah eu gemia e ele pra não chamar muita atenção tapava minha boca e me chamava de rapariga naquela noite realizei todo desejo que queria que se realiza-se.

Outro dia no caminho do serviço… essa lógico é outra história

maylson_bueno@hotmail.com

Contos – O Policial Pauzudo

VOU DIVIDIR COM VOCES O QUE ACONTECEU COMIGO ALGUNS ANOS ATRÁS.
EU ESTAVA DE FÉRIAS EM UMA CIDADEZINHA AQUI NO INTERIOR DO RS ONDE NADA ACONTECIA E COMO ESSA CIDADE É MUITO PACATA EU NEM ALIMENTAVA NENHUMA ESPERANÇA DE FAZER ALGUMA SACANAGEM. ELA FICA NA DIVISA DO ESTADO COM SANTA CATARINA QUE É CORTADO POR UM GRANDE RIO.
EU GOSTAVA DE DAR VOLTAS DE CARRO PARA PASSAR O DIA, E CADA DIA IA A ALGUM LUGAR DIFERENTE. E NESTE EM ESPECIAL EU PERCORRI A LATERAL DESSE RIO ATÉ UMA PONTE GRANDE DE FERRO ONDO TINHA TRILHOS DE TREM QUE ATRAVESSAVA PARA O OUTRO ESTADO. QUANDO CHEGO NESSA PONTE AVISTO UM GALPAO E PROXIMO DELE UM SENHOR QUE CONVERSAVA COM UM POLICIAL QUE ESTAVA DE COSTA. PAREI O CARRO ALGUNS METROS, SAI DO CARRO E FIQUEI DO LADO DE FORA ESCORADO. O SENHOR ME VIU E COMENTOU COM O POLICIAL QUE LOGO VIROU-SE PARA ME OLHAR. NOSSA, SOU MALUCO EM HOMENS FARDADOS E QUANDO VI AQUELE MEU CORAÇÃO DISPAROU E FIQUEI HIPER NERVOSO. O POLICIAL FICOU PARADO DE LADO E VI O QUANTO ELE ERA GOSTOSO.
UM MACHO TIPO ALEMÃO DE INTERIOR, ALTO DEVIA TER UNS 1:85 DE ALTURA CORPO NORMAL, COXAS GROSSAS CARA DE MACHO MARRENTO, COM UM NARIZ AVANTAJADO (ALGO QUE ME CHAMA MUITA ATENÇÃO EM UM HOMEM. SE TEM NARIZ GRANDE TEM UMA GRANDE CHANCE DE SER DOTADO ALGO QUE COMPREVEI EM 90% DOS CARAS QUE CONHECI) E COMO NAQUELA ÉPOCA AS FARDAS NÃO ERAM LARGAS COMO AS DE HOJE. A QUE ELE USAVA DAVA DESTAQUE AO VOLUME QUE CARREGAVA ENTRE AS PERNAS. EU PENSEI “TENHO QUE CHUPAR ESSE PAU DE QUALQUER JEITO”. O VOLUME ERA GRANDE E MESMO COM O PAU MOLE AQUELA FARDA CINZA APERTAVA E AS BOLAS TBM QUE ERAM GRANDES E DETALAHAVA SEU KCT MOSTRANDO QUE TBM ERA GROSSO.
TOMEI CORAGEM E ME APROXIMEI, PUXEI ASSUNTO COM OS DOIS PERGUNTANDO SOBRE O LOCAL E DIZENDO QUE ESTAVA DE FÉRIAS E QUE TINHA GOSTADO DA CIDADE, COISA E TAL… LOGO CONCLUI QUE ESTE POLICIAL FAZIA RONDA NESTE LOCAL QUE ERA AFASTADO DA CIDADE. QUASE TIVE UM ATAQUE CARDIA QUANDO PERCEBI QUE ESSE MACHO FARDADO NÃO ESTAVA USANDO CUECA, POIS SEU PAU ESTAVA PARA O LADO DIREITO DA CALÇA. FIQUEI HIPNOTIZADO COM O QUE VI QUE PARALIZEI. ELE PERCEBEU QUE EU NÃO TIRAVA OS OLHOS DO SEU KCT E ME ENCAROU COMO DISSESSE “MEU TA ME ESTRANAHNDO”. MAS COMO O TESAO SEMPRE FALA MAIS ALTO EU ESTAVA DISPOSTO A ENCARAR TUDO PRA TER AQUELE MACHO PAUZUDO.
DEREPENTE O SENHOR DIZ QUE ESTAVA NA SUA HORA E QUE TERIA QUE IR, CLARO QUE NESTE MOMENTO EU SENTI UMA SENSAÇÃO MUITO LOUCA PORQUE FICARIA SOZINHO COM QUE EU MAIS DESEJAVA.
FICOU UM CERTO SILENCIO E ANTES QUE ELE PENSASSE EM IR EMBORA EU PUXEI ASSUNTO DE NOVO, PERGUNTANDO O QUE ELE FAZIA ALI. ELE DISSE QUE FAZIA RONDA E QUE GOSTAVA DE IR NAQUELE LUGAR PARA RELAXAR UM POUCO E COMECEI A APELAR E NÃO TIRAVA OS OLHOS DAQUELE VOLUME QUE ME DEIXAVA MALUCO DE TESAO. OLHAVA PARA O VOLUME E PRA ELE E DAVA UMA LEVE MORDIDINHA NOS LÁBIOS. PERGUNTEI O QUE ELE MAIS GOSTAVA DE FAZER PRA RELAXAR E ELE DISSE DEPENDE DA OCASIAO. ISSO ME DEIXOU UM POUCO MAIS SOLTO. “MAS O QUE TU MAIS GOSTA DE FAZER MESMO?” PERGUNTEI NOVAMENTE.
ELE QUE JÁ TINHA NOTADO AS MINHAS INTENÇÕES COMEÇOU A FICAR SACANA. “O QUE MAIS ME RELAXA É FUDER UM RABO, METER COM VONTADE E ENCHER DE PORRA”. E APERTAVA O PAU POR CIMA DA FARDA. O ASSUNTO ESTAVA FICANDO COMO EU QUERIA PICANTE.
EU DISSE: “MAS PELO QUE TO VENDO, COM ESSE PAUZÃO TU DEVE COMER QUALQUER UMA, MOLE JÁ PARECE QUE É GRANDÃO”. E ELE: “QUE DERA, COMO ALGUMAS, MAS A MULHERES DAQUI DE FAZEM DIZEM QUE NÃO AGUENTAM E QUE DOI MUITO”. “SÃO POUCAS AS QUE AGUENTAM E QUE POSSO METER COM VONTADE”. EU: “MAS TU SÓ GOSTA DE FODER BUCETA?”
ELE: “SEMPRE TIVE VONTADE DE COMER UM CU, METER ATÉ DEIXAR LARGO, MAS NENHUMA QUE ME DAR O CU AINDA”.
“PENSEI, É AGORA”.
“TU TA FICANDO TENSO”, DISSE POQRUE SEU PAU ESTAVA FICANDO ANIMADO. “TO MUITO A FIM DE TE AJUDAR A RELAXAR”. ELE SEGURANDO NO PAU DISSE “LOGO VI QUE TU É FRUTINHA E QUE GOSTA DE LEVAR NO RABO”, “SÓ SE TUFAZER UMA MAMADA CAPRICHADA ANTES”.
EU DISSE QUE ERA O QUE EU MAIS QUERIA. FOMOS PRA TRAS DESSE GALPAO ONDE TINHA UM PORTA ENCOSTADA, ENTRAMOS E LA TINHA UNS PAPELOES QUE COLOQUEI NO CHAO E ELE FOI JUNTO. MEU TU IMAGINE UM MACHO FARDADO, PAUZUDO NA TUA FRENTE SEM CUECA E COM O PAU MEIO DURO NA COXA DIREITA. ISSO MESMO, ELA TAVA ASSIM MESMO.
EU QUERIA APROVEITAR ESSE MOMENTO COMO O ULTIMO DA MINHA VIDA, ME AJOLHEI NA FRENTE DELE, ACARICIEI O PUA ANTES DE TIRAR PRA FORA DA CALÇA, ESFREGUEI O ROSTO NO PAU E NAS BOLAS. ABRI O BOTAO E O ZIPER CURTINDO ISSO TUDO. BAXEI A CALÇA E O PAUZAO SOLTOU PRA FORA. EU QUERIA DEIXAR ELE MALUCO DE TESAO, PRIMEIRO MAMAR SUAS BOLAS E DEPOIS ABRI A BOCA E FUI ENGOLINDO CM POR CM DAQUELE MASTRO QUE TANTO DESEJEI. EU MAMAVA COMO UM TERNEIRO ENGOLIA O KCT E MEXIA A CABEÇA FODENDO O PAU DELE QUE O DECHAVA CHEIO DE TESAO E SEGURAVA MINHA CABEÇA FODENDO COMO UMA BUCETA.
EU DISSE PRA ELE QUE IRIA MAMAR ELE EATÉ ELE GOZAR NA MINHA BOCA, MAS QUERIA QUE DEPOIS ELE COMESSE MEU CU TBM. E ELE. “COM O TESAO QUE TO SOU CAPAZ DE GOZAR UMAS TRES VEZES, CONTINUA CAPRICHANDO NA MAMADA QUE LOGO TU VAI GANHAR LEITE NA BOCA E DEPOIS NO RABO”.
ELE SE SENTOU EM UMA PILHA DE PNEUS E EU CONTINUAVA CHUPANDO ELE COM MUITA VONTADE. ELE ABRIU A CAMISA DA FARDA E DEIXOU A MOSTRA SEU PEITO E BARRIGA PELUDOS, NOSSA ADORO MUITO MACHOS PELUDOS. MAMEI CO MAIS VONTADE E NÃO DEMOROU MUITO E ELE DISSE “VOU ENCHER ESSA BOCA DE GALA GROSSA, ENGOLE TUDINHO VIU” SEGUROU MINHA CABEÇA COM VONTADE E MANDOU VER NO GOZO. FORAM UMAS CINCOS ESPORRADAS FARDAS E QUE NÃO DEIXEI NENHUMA GOTINHA DE FORA. O CARA GEMIA DE TESAO E PRAZER. EU COM AQUELES 23 OU 24 CM DE PAU NA BOCA REALIZANDO UMA DAS MINHAS MAIORES FANTASIAS.
DESCANSSAMOS PARA A SEGUNDA PARTE, MAS ISSO EU VOU CONTAR OUTRO DIA.

 

Fonte: http://bigdotados.blogspot.com/2011/02/contos-o-policial-pauzudo.html

MEU ALUNO DE ACADEMIA

Meu nome é Ricardo, tenho 24 anos, sou personal trainer, 1,80m, 86kg, moreno claro e corpo musculoso, participo de campeonatos de fisiculturismo desde os 20 anos, você se espantaria ao saber quantos fisiculturistas metidos a machão são gays. No meu caso sou bi e somente ativo.
Estava eu, na academia em que dou aulas e era um dia muito quente, o dono da academia viajou para um congresso e me deixou tomando conta. Meu aluno David chegou, com uma camiseta larga e um calção igualmente grande, e me procurou.
- Professor, vc disse que me ajudaria em alguns aparelhos.
- Claro, mas primeiro umas abdominais.
Ele se deitou e começou a fazê-las, só que de modo errado. Eu agaixei e fui mostrar como deveria ser. Quando toquem eu sua barriga, vi que era incrivelmente dura. Olhei para ele meio espantado.
- Mas você estava fazendo os exercícios errados, como? Como… mostra esse seu abdôme para mim!
Ele levantou a camiseta e o que eu vi, começoua me excitar, uma barriga toda musculosa, um peitoral saltado, que com a camiseta gerossa, quase um moletom, não notava-se.
-Mas cara, você tem um corpo muito (pensei em “transável” ou gostoso, mas falei…)sarado, todo duro, olha!
Apertei seus músculos meio suados e peludinhos (na medida).
-Você nem sabe como estou duro…
Eu olhei meio espantado para ele.
- O Eduardo me contou como sua aula é boa…
(Eduardo foi o ultimo colega de malhação que eu havia “pegado”)
Olhei para o relógio e resolvi arriscar.
Me espera um pouco, daqui a 10 minutos eu vou fechar a academia.
*****
Os intermináveis 10 minutos passaram, eu fechei as portas, janelas e respirei fundo. Procurei pelo David, mas não o achava, chamei por ele e ele disse que estava no vestiário.
Quando abri a porta ele estava com 16cm de rola nas mãos, se masturbando. Me chamou e pediu para tirar minha roupa. Eu tirei a regatae ele se aproximou, começou a lamber e beijar cada gomo do meu abdômen, chegou ao meu peitoral, começou a paertá-lo e dar mordidas, aquilo me excitava ainda mais, e meu pau já estava duro como uma barra de ferro.
Tirei a camiseta do David, o que ja queria ter feito a tempos, e vi seu corpo magro, mas super definido, ele me agarrou com força, e começou a esfregar-se em mim, de um lado para outro, fazendo nossas rolas se encontrarem. Não aguentei, segurei seus braços e o coloquei contra a parede.
-Quer ser minha putinha? – perguntei a ele.
Ele não respondeu com palavras, soltou um dos braços, agarrou minha bunda e me puxou na direção do seu cuzinho. Eu coloquei a cabeça e logo meti todo o resto, mais ou menos 21cm e grosso. Coloquei devagar e manti o ritmo. David olhou para mim e me provocou.
-Ta com medinho de machucar a rolinha?
Aquilo me deu uma expecie de tezão, misturado ao desejo de fazer ele perder aquela carinha de deboche, então comecei a bombar, suavamos cada vez mais, e ele soltava gritos de dor, eu também fazia o mesmo, e comecei a masturbá-lo. O comia e o masturbava, ele gemia muito e gozou, nunca havia visto tanto leite de uma pessoa só, após ver o prazer que passava pelo seu corpo também gozei, enxi seu cuzinho com tudo que estava dentro de mim.
Após ficar-mos lambuzados o puxei para o chuveiro, lá começamos novamente, e ele tentou me forçar a chupá-lo, mas eu mostrei que era mais forte, abaixei-o e fiz ele me chupar, e enquanto ele fazia eu lhe falava:
-Chupa, faz bem gostoso, isso só vc vai fazer, por que eu não ponho minha boca nem meu cú em pau de macho, no máximo uma punhetinha, mas tenho que estar muito excitado…
Parei de falar por que o que ele fazia me deixou com tanto tezão, que comecei a gozar e minhas pernas ficaram frouxas, então gozei os azulejos do banheiro, me abaixei e começamos a nos beijar, ficamos lá das 10 da noite até as 3 da manhã… De lá fomos para um motel e aí a noite rolou… Por estes dias encontramo-nos eu, David e Eduardo. Que loucura, comi os dois, Eduardo com aquele peitoral peludo, suado e dando para David e eu chegando junto no cuzinho dos dois… mas isto é uma outra história….

A MINHA PRIMEIRA VEZ COM UM AMIGO

O que vou relatar aqui aconteceu comigo a tempos atrás. Meu nome é Juan, tenho 24 anos, sou bi mas a minha primeira aventura que na adolescencia não me sai da cabeça.
Fui criado em casa e tive muitos amigos, nossas férias eram ótimas brincava-mos na rua o dia inteiro e a que mais gostava era de pique-esconde. Nós geralmente brincava-mos a noite pois tinha umas tres casas em obra na redondeza e era nelas que costumava-mos nos esconder. E tinha um amigo em especial o Rogério( vamos chama-lo assim) que sempre ia aonde eu fosse.Ele tinha 2 anos a mais do que eu e era o maior de nossa turma. Eu era um garoto normal de corpo mas o que mas chamava a atenção era minha bunda que era muito grande, destoava de meu corpo. E toda vez que estava-mos juntos ele sempre dava um jeito de passar a mão em mim ou encostar seu pau por tras em minha bunda, fingindo que iria olhar pra ver se tinha alguém vindo nos procurar.Eu fingia que não estava acontecendo nada, mas adorava sentir seu pau encostar em minha bunda além de suas passadas de mão. Mas ficava-mos só nisso. Eu fingindo e ele sem coragem de entrar de sola. Eu era totalmente inexperiente em relação ao sexo, nunca havia feito e só havia me masturbado a pouco vendo uma revista de sexo que tinha encontrado sem querer no porão de minha casa e nela apareciam dois homens e uma mulher ,eles trepavam de todo o jeito inclusive um dos caras chupava o pau do outro. Aquilo me deixou maluco, meu pausinho ficou duro na hora e comcei a me bulinar até ter um gozo delicioso que jamis esqueci.
Mas o que eu mais queria a um tempo era ter sexo de verdade e a oportunidade veio com o Rogério que a tempos mexia com a minha imaginação e vontade de fazer sexo.
E foi num dia de chuva e em uma casa em construção que me realizei pela primeira vez com meu amiguinho. Era uma sexta a noite e brincava-mos na rua de pique se esconde quando caiu um temporal. Nós estava-mos escondidos na terceira casa e vimos quando todos os amigos saíram correndo para as suas casas por causa da chuva e quando também ia Rogério me pegou pelo braço e me puxou dizendo que eu ficasse até que a chuva parace um pouco. Ficamos ali no escuro e de vez enquando Rogério dizia que iria olhar pra ver se já dava para irmos e vinha por trás de mim perto da janela e esfregava seu pau na minha bunda. Eu agia naturamente como se nada estivesse acontecendo mas logo que senti o pau duro de Rogério em minha bunda eu comecei a sentir um calor em minha barriga e meu pau começou a crescer também . Aquilo foi me deixando louco, minhas pernas começavam a bambear toda vez que ele encostava em mim. Eu ainda fiz um pouco de jogo com ele e saia de sua frente as vezes, mas ele insistia e começava além de encostar empurrar seu pau na minha bunda. Numa dessas eu não aguentei e dei uma suspirada, o que foi notado logo por ele. Seu pau estava tão duro quanto o meu mas a minha vontade era de ser comido de ver aquele pau que deveria ser maior do que o meu, te-lo em minhas mãos, boca e finalmente na minha bundinha. Ele saiu subtamente me dando um susto, eu pensei que ele tinha se arrependido ou que alguém pudesse estar chegando, mas nada, ele olha pra mim e diz que esta com muita vontade de mijar. Eu o olho e digo faz aqui mesmo. Ele sentiu logo o teor de minhas palavras e colocou seu pau pra fora e virando pro lado começou a mijar. Mesmo na penumbra eu não tirava os olhos de seu pau que já estava duro e era realmente grande e grosso totalmente oposto do meu que era bem menor e muito mais fino. Ele me olha e diz se quero segurar. Eu já embreagado de vontade digo que sim mas falo que ele tem que me prometer que ficará só entre nós dois. Ele concorda e diz que há muito estava querendo fazer uma sacanagem comigo, mas que além de não ter certeza se eu toparia também não tinha tido uma oportunidade como aquela. Ele acaba de mijar e vira-se pra mim e manda eu segurar. Nossa! Que pau grande pensei, e agora o que fazer. Ele vendo que eu não fazia nada me manda apertar e começar a punheta-lo. Fico ao seu lado e começo a tocar uma punheta em seu pau que esta cada vez mais duro e ele me pergunta se eu quero mais alguma coisa e eu digo que sim. Pergunto se posso chupa-lo. Ele dá um sorrisinho e me pega pela mão e me leva pra outro cômodo da obra onde há uma bancada. Lá ele me pede pra esperar que irá ver se tem alguém por perto pra nós ficar-mos mais a vontade. Eu estava com um pouco demedo , mas a vontade de ter aquele pau pra mim era maior e só pedi que ele viesse logo. Quando ele volta já esta nu da cintura pra baixo e vindo em minha direção me abraça pegando em meu queixo e me dá um beijo. Eu nunca havia beijado daquele jeito, sua lingua prucurava a minha, que delícia, sentia seu pau em mim e o meu tocava nele. Ele então para e diz que quer me ver nu, totalmente sem roupa. Eu obedeço e vou tirando camisa ,short e finalmente minha cueca. Ele me pergunta se quero ser sua mulhersinha e eu digo que sim, e que faria o que ele me mandasse. Ele então me pede pra dar uma volta nu pelo cômodo e eu faço. Ele diz que sou muito gostosinho e que minha bundinha deveria ser deliciosa. Eu ainda com um pouco de medo pergunto a ele se realmente não tem ninguém por perto. Ele diz que não que enquanto estivese chuvendo não haveria risco de alguém nos ver e vem em minha direção me fazendo abaixar perto de seu pau. Eu sabia o que ele queria. Me abaixo e segurando com minha mão aproximo minha boca de seu pau. Havia naquele local um cheiro de urina muito forte, não sei explicar, mas aquilo me dava muito tesão. Fechei os olhos e abocanhei seu pau que também tinha um pouco de odor de urina. Meu deus que delicia, comecei timidamente mas aos poucos fui engolindo mais e mais seu pau. Minha lingua percorria todo seu cacete fazendo-o gemer e pedir mais. Eu delirava, ele me chamava de mulhersinha, safadinha, que eu seria dele pra sempre. Eu me soltando cada vez mais comecei a dizer que seria dele sempre e que aquele pau só seria meu. Eu me surpreendi comigo mesmo ao falar aquelas besteiras, não sabia que conseguiria dizer aquilo. Ele mando que segurasse com minhas mãos a sua bunda mas continuasse com o pau na minha boca, dizendo que queria fuder minha boca. E foi o que fez, começava a enfiar e tirar seu pau de minha boca. Eu estava sendo fudido na boca. Ele fazia isso e me perguntava se ele poderia tentar comer minha bundinha. Eu sem tirar o seu pau da boca concordava com a cabeça. Isso foi fazendo com que ele acelereasse mais ainda seus movimentos. Eu apertava sua bunda e ele socava mais e mais rápido até que falou que iria gozar e tão rápido pediu se queria sentir seu leitinho em minha boca. Tirei um e disse que tinha nojo disso, mas ele não deu tempo segurou em minha cabeça e colocando seu pau em minha boca gozou muito forte. Tentei sair mas não deu. Suas mãos seguravam minha cabeça com força. Tentei não engolir, mas era tanta porra que minha boca foi enchendo e tive que engolir um pouco. Acabei gostando e assim que ele me soltou eu virei um pouco pro lado e cuspi ainda o que restou. Ele tremia as suas pernas e eu levantei e comecei a limpar os cantos de minha boca, pois ainda escorria um pouco de leite.
Fiquei um pouco frustrado, pois achava que ele me comeria, eu ainda não havia gozado e meu tesão ainda era muito forte.
Ele me pede desculpas pois na hora o que ele queria e muito era gozar em minha boca. Eu digo que não fazia mal, pois acabei gostando. Ele vem em minha direção e pede, se gostou então chupa mais e deixa ele limpinho. Seu pau estava meio amolecido e ainda tinha um pouco de porra na ponta e no lado. Nem pensei me abaixei de novo e abocanhei. Eu chupava e me punhetava, mas seu pau começou a crescer novamente em minha boca e nessa hora eu olhei pra ele que sentindo o que eu queria me olha e diz: Você quer ele na sua bundinha não é? Eu digo que sim ele manda que eu continue a chupa-lo e faço até seu pau estar bem duro novamente. Ele me faze levantare me beija novamente, dessa vez apertando minha bunda e falando em meu ouvido que quer muito comer meu rabinnho. Então come, esta esperando o que? Ele me vira e me debruça na bancada e me faz abrir minha bunda com as duas mãos. Fico assim a sua mercê, ele coemça a pinselar seu pau no meu cu que pisca só de sentir ele na portinha, olho pra trás e pesso que ele não me machuque. Ele diz que vai ser bem devagarinho. Vejo ele se abaixar atrás de mim com a minha bunda toda arreganhada. Ele cospe no mmeu cuzinho umas tres vezes e começa a meter um dedinho. Eu não aguento e rebolo devagar. Sinto minha bunda melada com sua saliva. Ele se levanta e me faz virar pra ele sem tirar as mãos da bunda e coloca seu pau na minha boca novamente e me pede que eu chuhpe seu pau mas deixe muit saliva. Eu faço isso com maior prazer e pouco depois ele sai e vem por trás e encosta a cabeça de seu pau na minha bunda e pinsela novamente. Sinto meu cuzinho todo melado. Rogério começa a forçar seu pau no meu cuzinho. Assim que começa a entrar sinto uma dor horrível e ainda tento dar uma escapada, mas ele me segura e me pede pra aguentar mas um pouco que logo iria passar. Ele para por um tempo de forçar seu pau e eu dou uma relaxada. A dor passa e eu começo a aproveitar seu pau. Ele sentindo que eu estava gostando deu mas uma forçada. Dessa vez senti a cabeça de seu pau entrar. Parecia que estava colcando um ferro em brasa na minha bunda, mas sem dar tempo de reclamar ou tentar sair ele foi enterrando seu pau na minha bunda. Apertei minha bunda com tanta força que ficou marcado por uns 3 dias. Ele parou novamente, mas dessa vez seu pau já passava da metade. Não acreditei ao sentir com uma de minhas mãos o que já havia entrado. Me senti um viadinho mesmo. Ficamos parado ali sem nos mexermos por um tempinho, mas logo a dor passou e fui soltando minhas mãos da bunda. Rogério sentindo que não havia mais dor começou um vai e vem delicioso. Como ea bom sentir aquele pau entrar e sair de minha bunda. Ele me comia e falava que eu tinha uma bunda linda e deliciosa, que mas parecia se uma bunda de mulher e que me comeria sempre e segundo em minha cintura me puxava pra dentro de seu pau, eu rebolava sem parar. Cmecei a me masturbar com o pau de Rogério dentro de mim. Seu pau escorregava com facilidade e eu mal podia acreditar que minha bunda já o tinha todo dentro dela. Ele começou a falar que eu era viadnho, safado e putinha dele. Isso foi me deixando louco, fazendo com que eu rebolasse e pedisse que ele me arrombasse todo. O cara pirou e começou a bombar comtanta força quecomecei a sentir seu saco tocar o meu. Eu acelerava mais minha punheta, temia que ele gozasse novamente e eu não. Foi aí que já quase gozando falei pra ele que iria gozar, ele sem parar fala . Goza meu viadinho, põe seu leitinho pra fora que eu vou por meu leitinho pra dentro de sua bundinha deliciosa. Ao ouvir isso saiu um jato muito forte de meu pau, eu nunca havia gozado tanto e de forma tão intensa. E quase ao mesmo tempo senti a porra de Rogério inundar meu cuzinho. Era uma sensação única. Seu leite quente invadia minha bunda.
Ficamos ali , eu debruçado na bancada com Rogério ainda com seu pau dentro de mim amolecendo aos poucos. Estavamos exaustos, assim que le saiu me pediu que me agachasse e abrisse bem a bunda e forçasse. El queria ver sua porra sair toda de meu cu. Fiquei agachado de costas pra ele abrindo minha bunda ao máximo e assim que forcei um pouco senti sua porra sair de minha bunda. Me surpreendi com a quantidade, pois ele já havia gozado antes.
Já estavamos ali quase 1 hr e a chuava ainda caia, mas bem memos do que antes. Nos arrumamos e prometemos um ao outro a não contar aquilo a ninguém. E também que assim que tivesemos outra oportunidade fariamos tudo de novo. Só não esperva que seria tão rápido e que teria uma surpresa que me deu muito medo.
Abaços
Juan.
meninoadora@hotmail.com

BEBENDO COM MEU TIO

Me chamo D. Carlos Silva, tenho 20 anos; moro com meus pais em uma cidade muito pequena, e isto ocorreu de verdade no dia 21/02/2010. Eu nunca neguei para mim mesmo que sentia atraçao por meu tio. E foi num sábado a noite que resolvi lhe fazer uma visitinha, já que estava separado de sua mulher a mais de cinco anos. Levei alguns cigarros para fumar-mos e bater papo. Era por volta das oito da noite e eu ja iria disposto a tudo sem nada a temer…
Chegando em sua casa ele me convidou a entrar e começamos logo a conversar sobre vários assuntos: política, futebol, festas, mulher e finalmente sexo muito sexo.
Começamos a beber, eu moderadamente é claro e colocando altas doses de pura cachaça para ele, queria ele bem sem noçao para fazer o que tanto havia planejado a varios anos…
Ja era tarde quando comecei o meu plano.
Falei para ele que estava me sentindo tonto que se eu poderia me deitar um pouco. Ele falou que sim e eu fui… e realmente eu estava tonto mas nao desisti de meu plano. Perguntei a ele se eu poderia tirar a roupa pois só dormia nú e de fato. Tudo beleza. E assim eu fiz.
Notei que de vez em quando ele vinha me observar nú em sua cama e cada vez mais ele vinha de pau duro e dava umas pegadas bem gostosas em seu pau sem tirar o olho de minha bunba descoberta.
Passado algum tempo notei que ele tinha ido se deitar em outro quarto. E quando eu sem menos esperar ele me chama. E atendendo o seu pedido eu fui ate ele. Tava escuro e nao dava para enxergar quase nada, mas mesmo assim ele pegou em minha mao e me puxou para si.
Foi quando eu encostei minha mao em seu pau duro e muito molhado de tesao. Ele bem bruto pegou minha cabeça e meteu sua rola em minha boca fazendo eu chupar seu lindo e grosso estrumento. Me deliciei chupando a rola enorme de meu tio. Quanto mais eu chupava mais ele queria. Foi quando eu o levei para onde eu estava dormindo.
Antes de chegar-mos ao quarto ele me agarrou com força e me penetrou na porta da sala e começou a me fuder muito gostoso. Era surpreendente como ele comia um cu tao gostoso. Poucos tinha me fudido daquele jeito.
No quarto em sua cama ele me jogou, me deixou de quatro e empurrou toda a sua rola em meu cuzinho que doia muito mas eu nao queria parar… Ele sempre dizia “NAO ERA ISSO QUE VC QUERIA SEU SAFADO!!!!”, e nao parava de fuder com mais e mais força. Eu gemia de tanto prezer e mandava ele me fuder mais e mais…
Quando ele estava pra gozar mandou que eu abrisse minha boca e eu louco de desejo fiz e ele gozou fundo dentro de minha boca ao sentir seu gozo todo lambuzado gozei tambem feito um louco caindo na cama de cansado de prazer e muito satisfeito.
Mas para ele nao tinha acabado por ai. Limpei sua pica com minha boca e fui notando que sua rola estava voltando a crescer em minha boca. Foi quando ele me jogou de bruços e fudeu mais ainda. Ele parecia uma fera indomavel me fudendo louco por sexo. Me fez um belo frango assado e gozou fundo dentro de meu cuzinho todo fudido com aquela pica imensa. Sua porra era quente de tanto prazer dentro de mim e mais uma vez eu gozei com a rola de meu tio agora dentro de meu cu. Muito bem satisfeito nos dois demos risadas e eu fui embora pra minha casa todo fudido pelo meu tio que eu julgava odiar gays. Demorei um pouco para acreditar no que havia acontecido naquela noite de sabado, mas era real e de fato marcante em minha vida. Era o que eu sonhava a anos e agora estava realizado.
Ainda hoje meu tio vem em minha casa, me olha e disfarsadamente me convida para beber uma com ele. E eu muito louco de tesao pelo meu tio VOU e nao nego ser o amante mais fiel de meu TIO….

1º VEZ COM O MACHO BAIANO

 

Olá, me chamo Arthu, tenho 19 anos. Venho para compartilhar um dos melhores dias da minha vida, quando conhece o Adriano. Nos conecemos pela internet, ele de Salvador e eu de São Paulo. Nós até hoje não sabemos quem adicionou quem. Num certo dia ve em meu msn ele, não sabia quem era fui perguntar. Ficamos intimos, ele nunca teve relação com nenhum homem, nem eu.Até que resolvemos nos conhecer. Neste ano(2010) Fui para Salvador curte o carnaval, pois ele havia me convidado. Chegando no Aeroporto ele esta no portão de desembarque me esperando, lindo(foi emocianate). Nos comprimentamos, era incrível como nós nos entendemos tão bem. Ele me levou para sua casa. Nós dois sem jeito, até que ele me amostrou o quarto onde ficaria. Eu decepicionando, falei:
- Imaginei que ficaraiamos no mesmo quarto.
Ele ficou totalmente sem jeito e vermelho, me respondeu:
- Eu fiquei com medo de tomar iniciativa, não sabia como iria reagir.
Eu já queimando de prazer, por aquele homem musculoso, tomei iniciative eu pulei encima dele.Nossa que beijo quente, nossa lingua bailavam, ele me beijava com muita fome, apertava minha bunda com muito gosto, virei de costas e comecei a esfregar minha bundinha naquele pau, que estava duro como uma rocha querendo rasgar a calça. Ele passava a lingua por traz da minha orelha, que me deixava arrepiado, eu virei nos beijamos e comecei a tirar sua roupa, nooossa que peitoral, que barriga, desse minha lingua em seu corpo até chegar em seu pau, quando pos pra foro, nooooooosssa era enorme 21cm, eu fiquei assustado mais cair de boca, chupei as bolas dele fazendo ele urrar de prazer, ele segurou em meu cabelo e empurrou minha boca até o talo, fique sufocado com aquele enorme pau todo em minha boca, quando tirou respirei fundo para continuar chupando.Ele me levantou e tirou minha roupa, jogou-me na cama e fizemos um delicioso 69, enquanto ele chupava o meu pau ao mesmo tempo enfiava o dedo em meu cuzinho que ja estava piscando. Ele levantou e me disse:
- Você vai deixar eu comer seu cuzinho virgem?
Eu fiquei nervoso, e responde:
- Eu não vou aguentar, vai doer muito.
Ele me puxou e me disse no ouvido:
- Eu faço com carinho, a dor é passageira.
Ele me pós de 4 e passou a lingua em meu cuzinho, deixando-o todo lambusado, começou enfiando 1 dedo, depois 2 , 3. Até q começou a pincelar seu pau na porta do meu cuzinho, eu fiquei tenso. Ele começou a penetra, quando colocou a cabeça, noooooooossa sentir um ardo horrível, e pedir pra ele parar mais ele não escultou, eu tentei sair, ele me segurou pela cintura. E foi penetrando até chegar o talo, nosssa o ardo era horrivel, ele começou num vai e vem. eu suplicava “Adriano, eu não vou aguentar” . Ele totalmente possuido pelo prazer respondia ” Vai passar “, A dor foi aliviando até que comecei a gostar e já o provocava para que ele metesse com mai força.
- Mete meu macho, arromba o cu da sua putinha.
Quanto mais eu falava mais ele metia.
- Sua puta safada, vou arrombar com seu cu.
Ele dava tapas em minha bunda, deixando o sexo mais prazeroso. Eu sentir aquele pau cresceu dentro de mim quando ele anunciou que iria gozer, eu respondir:
- Me dar leitinho na boca, meu macho.
Ele tirou o pau rapidamente, e quando eu abre a boca veio um jato de porra em minha boca, nossa foi tanta que engolir um pouco. Ele me pediu pra sentar em seu pau. Ele sentou na cama, e eu sentei no seu pau de costa pra ele, enquanto eu cavalgava encima dele, ele me masturbava, o que deixava o sexo mais prazeroso. Ele passava a lingua em minhas costa, eu perguntava:
- Tá gostando?
- Senta gostoso no seu macho, quero fuder com seu cuzinho.
Eu não resiste e gozei na mão do Adriano, ele esfregou minha porra pelo meu corpo, colocou seu dedo em minha boca e eu chupei todinho. Ele me pois deitado na cama e fizemos um delicioso frango assado. Geme muito, enquanto ele urrava de prazer, ele segurou em minhas pernas e socava cada vez mais forte, tirando e colocando seu pau. Até que novamente ele anunciou que iria gozar, e jorrou sua porra dentro do meu cuzinho, ele ficou olhando sua porra saindo do meu cuzinho, lembeu meu cu, totalmente arrombador pelo meu macho, e nos beijamos lambusados de porra.
Esse foi a Transa mais prazerosa que tive até hoje.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.